218820160    oinstalador@gmail.com

A rede de monitorização da qualidade do ar vai ser modernizada, com intervenções concluídas no final de 2017 e investimentos que podem chegar aos quatro milhões de euros, afirmou o secretário de Estado do Ambiente.


Com uma verba que «esperamos ande em torno dos 3,5 a quatro milhões de euros contamos renovar e modernizar toda a nossa rede de qualidade do ar», avançou à Lusa Carlos Martins.

Cerca de um milhão de euros será transferido do Fundo Ambiental, instrumento que estará operacional a 1 de Janeiro, para a contrapartida nacional do investimento na modernização da rede de monitorização, operação que vai centrar-se em 60 a 70 estações do total das 80 da rede principal, explicou o governante.

O restante será obtido pelas Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), com as contrapartidas aos fundos regionais. «contamos que no final de 2017 a nossa rede esteja ao nível do que desejamos e tenhamos dados que nos permitam ter políticas mais consistentes no que há a fazer nesta matéria» da qualidade do ar, referiu o secretário de Estado do Ambiente.

Carlos Martis disse que «há um conjunto significativo de equipamentos que já evidenciam muitos problemas», quer de modernidade, quer em termos de fiabilidade.

 

 


Bootstrap Image Preview Bootstrap Image Preview