218820160    oinstalador@gmail.com

Novo sistema IntelliLux com 32 segmentos de LED no novo Opel Insignia.


Texto e Fotos: OPEL

Todos os anos, os ponteiros dos relógios recuam uma hora no último fim de semana de outubro.

A dita ‘hora de Inverno’ traz, logo à partida, um desafio aos condutores, que passam a conduzir mais tempo em ambiente escuro.

Como se não bastasse, a isso acrescem condições meteorológicas adversas. Mas quem se senta ao volante de um Opel beneficia dos melhores meios para enfrentar os meses de inverno, nomeadamente de alta tecnologia em matéria de iluminação.

Esta é uma das áreas em que a Opel cumpre a promessa de democratizar equipamentos que antes só estavam disponíveis em automóveis de topo de gama.

Em muitos dos seus modelos, a Opel disponibiliza faróis de LED que ajustam os feixes de luz às condições de circulação.

No topo da escala está a segunda geração dos faróis de matriz de LED IntelliLux, oferecido no novo Opel Insignia.

A visibilidade é excelente e a segurança aumenta consideravelmente. 

«As inovações da Opel em iluminação dianteira não têm paralelo nos diferentes segmentos, nem do nosso topo de gama, nem de muitos outros modelos da nossa gama.

A excelente visibilidade à noite facilita imenso a condução e torna-a, acima de tudo, mais segura», defende o Vice-presidente de Vendas e Marketing da Opel, Peter Küspert.

A nova geração IntelliLux LED 

O inovador sistema IntelliLux de matriz de LED estreou na atual geração Astra.

Os faróis do familiar compacto da Opel são formados por 16 segmentos de LED - oito de cada lado - que adaptam continuamente o alcance e a distribuição dos feixes de luz às condições de circulação.

Os especialistas concordaram desde cedo que «a tecnologia de matriz de LED da Opel é um avanço significativo na área da iluminação dianteira. Nos extensos testes levados a cabo pelos membros do júri, o sistema provou ser eficaz e mereceu a alcunha de ‘mágico’», assim era a opinião expressada pelo painel de jornalistas dos prémios AUTOBEST em 2015.

O funcionamento do IntelliLux LED é simples. Assim que o automóvel deixa a malha das ruas urbanas os ‘máximos’ ligam-se automaticamente e ajustam-se de acordo com vários parâmetros consoante o Astra ou o Insignia circule em autoestrada ou estrada, ou descreva uma curva.

Com base na leitura feita pela câmara dianteira colocada junto do espelho retrovisor interior, o sistema consegue identificar permanentemente o posicionamento de fontes de luz, desligando o elemento LED suscetível de provocar encandeamento a outros utilizadores da estrada.

Este é um processo contínuo e dinâmico, o que permite circular sempre em luzes máximas. 

Os engenheiros da Opel conseguiram ganhos apreciáveis ao duplicarem, para 32, o número de elementos de LED integrados nos faróis dos Insignia Country Tourer, Sports Tourer e Grand Sport.

O resultado impressiona. Não apenas conseguiram desenhar faróis mais elegantes como alcançaram maior precisão na distribuição da luz e transição mais suave entre os LED graças ao maior número de segmentos. 

Para melhorar ainda mais a visibilidade ao descrever curvas com luzes máximas, os engenheiros acrescentaram uma nova função de iluminação na segunda geração IntelliLux. A intensidade dos LED dos extremos dos faróis aumenta de acordo com o ângulo do volante, com isso proporcionando melhor iluminação em curvas.

Cada farol também possui um projetor de longo alcance capaz de alumiar adicionalmente até 400 metros de distância. Desta forma, o condutor consegue distinguir obstáculos em pontos muito distantes, que de outra forma estariam no escuro se se tratassem de faróis convencionais. 

Democratizando alta tecnologia de iluminação 

A tecnologia avançada de iluminação existe na gama Opel para além do topo de gama Insignia e do ‘bestseller’ Astra.

O modelo SUV Grandland X, por exemplo, possui faróis LED AFL. Os LED permitem a modificação dos padrões de luz ao mesmo tempo que oferecem funcionalidades acrescidas por comparação com tecnologias anteriores. Por seu turno, na câmara colocada no para-brisas reside o funcionamento da comutação automática médios-máximos, facilitando a tarefa de conduzir à noite.

No total, o sistema LED AFL do Opel Grandland X tem sete modos de funcionamento: luz de estrada, luz de autoestrada, luz de cidade/peões, luz de cruzamento, luz de mau tempo, luz dinâmica de curva e comutação automática médios-máximos. 

O mesmo se aplica aos faróis do SUV Opel Mokka X e do monovolume compacto Opel Zafira. Ambos disponibilizam faróis integralmente em LED com variados modos, que vão da luz de estrada até ao padrão “Turista”, o qual altera o formato e o alcance dos feixes para permitir circular em países onde se conduz à esquerda.

Finalmente, a iluminação é uma das áreas em que o recém-lançado Crossland X se distingue de toda a concorrência no segmento dos ‘crossover’ utilitários ao garantir luz de curva, comutação automática e autonivelamento, entre outros. 

Dos faróis escamoteáveis ao AFL+: Opel é pioneira em tecnologia de iluminação 

Com matriz de LED e faróis adaptativos integralmente em LED, a Opel destaca-se por oferecer avançada tecnologia de iluminação a preços comportáveis, sendo acessível a uma base alargada de pessoas. Este tem sido, aliás, um mote característico da marca, reconhecido há várias décadas.

Em 1968, o Opel GT fez manchetes não só devido às linhas arrojadas mas também pelos faróis escamoteáveis, que eram novidade absoluta entre os fabricantes alemães.

Mais tarde, em 1989, o Opel Calibra era um dos primeiríssimos modelos de produção em série a apresentar faróis elipsoidais. Os faróis esguios tinham apenas sete centímetros de altura e eram uma das chaves para o ‘design’ e a aerodinâmica do emblemático coupé. 

Em 2003 a Opel deu um passo de gigante em iluminação ao dispor de faróis com luz dinâmica de curva e luz de cruzamento a 90 graus. Ao sistema chamou AFL, Adaptive Forward Lighting.

Em menos de um ano, aquela avançada tecnologia passava para o Astra, constituindo uma estreia absoluta no segmento dos familiares compactos. E em 2006, no Corsa e no Meriva, colocava pela primeira vez luz de curva e de cruzamento no segmento dos utilitários.

Por seu lado, a primeira geração Insignia, lançada em 2008, trazia consigo uma nova geração AFL+ que constituía novidade importante.

O sistema bi-xénon destacava-se por ter feixes de luz que já conseguiam adaptar-se ao perfil da estrada, à velocidade do automóvel e às condições meteorológicas.


Bootstrap Image Preview Bootstrap Image Preview