218820160    oinstalador@gmail.com

Ao todo são 29 os países que participam, esta quinta e sexta-feira, na ilha Terceira, nos Açores, numa cimeira de representantes de governos, empresas e instituições académicas e científicas, que visa a criação do Centro Internacional de Investigação dos Açores para o Atlântico.


O encontro “Atlantic Interactions”, no qual são esperados mais de 200 participantes, encerra a fase de debate preparatório para a constituição do Atlantic International Research Center (AIR Center), direccionado para a investigação, com aplicação prática, sobre o Atlântico, nas áreas do clima, dos oceanos, da atmosfera, das energias renováveis, do espaço e do processamento de dados.

A lista de oradores inclui o director-geral da agência espacial europeia ESA, Johann-Dietrich Woerner, assim como ministros da Ciência e Tecnologia da África do Sul, da Nigéria, de São Tomé e Príncipe e do Senegal.

Participam também no encontro, além de Portugal, delegações de Angola, Argentina, Bulgária, Brasil, Canadá, Cabo Verde, China, Colômbia, Chipre, França, Alemanha, Grécia, Índia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Roménia, Coreia do Sul, Espanha, Suíça, Reino Unido, Uruguai e Estados Unidos.

O programa da cimeira inclui workshops sobre espaço, clima, oceanos, processamento de dados, energia, cultura e educação científica e debates.

O AIR Center, previsivelmente com sede nos Açores, poderá vir a funcionar como uma organização intergovernamental, agregando uma rede de várias entidades em diversos países.

O Governo português comprometeu-se a definir, até ao fim do ano, com parceiros estrangeiros, a estrutura organizativa e o financiamento do centro.

De acordo com o documento preparatório da cimeira, os Açores é apontado como uma região com potencialidades para ter um porto espacial para lançamento de microssatélites para observação da Terra.

O centro poderia, por exemplo, entre outras funcionalidades, observar o impacto das alterações climáticas na biodiversidade marinha e actividades ligadas à pirataria e ao tráfico de droga no Golfo da Guiné e na costa ocidental africana.


Bootstrap Image Preview Bootstrap Image Preview