218820160    oinstalador@gmail.com

O Movimento Ibérico Anti-nuclear (MIA) promoveu ontem, dia 6 de Junho, uma conferência de imprensa para dar conhecimento do ponto da situação sobre a questão da central Nuclear de Almaraz, entre outras questões.


Texto: Revista O Instalador

Fotos: Olinda Gama

Na conferência de imprensa marcaram presença António Eloy, Coordenador do MIA, e representantes de alguns dos movimentos ambientais, sociais e políticos que apoiam a causa, como a Quercus, a Zero e Os Verdes.

Na altura, António Eloy fez o ponto da situação sobre o andamento da solicitação de desmantelamento da Central de Almaraz, fazendo um breve historial da energia nuclear e dos perigos que as centrais nucleares em Espanha representam para a segurança do país vizinho e de Portugal.

Este encontro serviu também para lançar de novo o debate, desta vez com ma concentração em Madrid, onde organizações, colectivos e activistas anti-nucleares no próximo dia 10 de Junho, irão solicitar aos responsáveis o fim das ampliações e um calendário de encerramento nuclear.

O MIA vai solicitar nesse dia ao governo espanhol que não renove nenhuma autorização para a continuação do funcionamento das centrais e proceda ao desmantelamento da central de Garoña.

O MIA vai também solicitar ao governo português que se mantenha firme, na linha das posições do parlamento português e de largas de dezenas de autarquias, no empenho pelo encerramento de Almaraz.

Ainda irá ser solicitado que não se esconda da cidadania este debate, que os promotores consideram fundamental para impulsionar um modelo energético justo e sustentável. O MIA reafirma que um modelo 100% renovável só é possível com o abandono da energia nuclear.


Bootstrap Image Preview Bootstrap Image Preview