218820160    oinstalador@gmail.com

O Parque Eólico Offshore flutuante, Statoil Hywind, na Escócia, promete revolucionar a indústria eólica e as energias renováveis a nível mundial


Texto: José Alex Gandum

Todas as turbinas eólicas precisam de inspecção regular e manutenção, o que é uma tarefa difícil se as turbinas estiverem a funcionar no meio do mar, onde estão sujeitas a condições climatéricas agrestes, onde se junta o estado eventualmente alteroso das condições do mar.

Para atenuar esta dificuldade foi desenvolvida uma tecnologia de compensação de movimento de um "braço" de três eixos, o que pode permitir que um guindaste possa manter uma caga suspensa numa posição fixa em relação à plataforma da turbina.

Segundo os especialistas, este é um recurso importante quando os recipientes de ferramentas, equipamentos e pessoal de terra em pequenas plataformas localizadas no topo das fundações de turbinas eólicas offshore, onde há pouca margem de erro. Também é ideal para a manutenção dessas turbinas e outras instalações fixas.

A MacGregor, a empresa responsável por estes "braços", apresentou recentemente o compensador de movimento 3D (3DMC), um dispositivo de adaptação flexível que é projectado para melhorar a precisão da movimentação de carga do guindaste no mar, mesmo em estado de mar complicados.

O 3DMC pode ser montado sobre um braço articulado de um amplo espectro de guindastes subaquáticos, compensando a amaragem e a elevação do navio para minimizar qualquer movimento da carga, quando levantado a partir das plataformas fixas de vento.

O 3DMC tem um braço principal, que pode ser levantado, baixado, rodado e estendido. Isto proporciona um movimento em todos os eixos, para permitir uma compensação tridimensional. Ele foi projectado para fácil instalação e faz uso de um sistema de unidade de potência e de controle hidráulico existente no guindaste, de modo que todas as operações são realizadas a partir de interfaces existentes na cabina do guindaste.

A MacGregor também está envolvida num projecto piloto pioneiro chamado Nemos, que não é mais que um sistema inovador que gera electricidade a partir das ondas, mas que é ideal para trabalhar em combinação com parques eólicos offshore, onde se pode partilhar infra-estrutura de energia eléctrica, reduzindo o custo da energia nível (LCOE) e atenuar as flutuações na geração, aumentando a viabilidade comercial de captação da energia renovável.


Bootstrap Image Preview Bootstrap Image Preview