Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Construção de máquinas: o futuro promete - os componentes normalizados do futuro

Autor: Norelem05/12/2020
A conceção de máquinas para desempenho futuro é sempre uma tarefa complexa que exige a consideração de vários fatores, como as tecnologias emergentes, o fabrico e a montagem. De forma a reduzir a incerteza, é sempre aconselhável a utilização de componentes normalizados, explica Martin Ahner, Instrutor de Produto e Diretor da norelem ACADEMY.
foto

Atualmente, a preparação das suas máquinas e componentes para o futuro é cada vez mais popular nos setores de fabrico e da engenharia. É essencial garantir a implementação de processos eficientes para minimizar imprevistos e interrupções, uma vez que as interrupções na produção implicam atrasos nas entregas dos produtos. Por sua vez, isto resulta na frustração dos clientes e consumidores.

A garantia do desempenho futuro dos seus ativos mais importantes é particularmente difícil quando se usam peças personalizadas. Daqui a cinco, dez ou vinte anos, estes componentes personalizados poderão já não estar disponíveis, sendo quase impossível saber se será possível substituir esses componentes caso falhem ou se será necessário renovar toda a máquina em questão.

Considerando que os fabricantes estão sob constante pressão para inovarem e os engenheiros projetistas para criarem essas visões e máquinas, a utilização de componentes normalizados pode ajudar a concretizar essas ideias. Mas não só — os componentes normalizados podem ajudar a prolongar a vida útil das máquinas e a aumentar o seu retorno sobre o investimento.

Tendências na preparação de máquinas para o futuro

Todas as empresas estão potencialmente em risco no que se refere a períodos de inatividade das máquinas e interrupções na produção, sendo, por isso, essencial preparar os processos para o futuro. Incluem-se aqui processos como a produção de aditivos e a impressão 3D, robótica e automação, investimentos na IdC e até tecnologia usável/vestível (wearables).

Em alguns casos, as novas tecnologias permitem que fabricantes vanguardistas apresentem verdadeiras inovações próprias. Mas é complicado escolher as mais adequadas para o que se pretende e isso exige evidentemente uma motivação para tal investimento.

A impressão 3D permitiu que os setores de fabrico e da engenharia avançassem em direção a uma nova era de tecnologia e eficiência. Sendo um processo aditivo, o fabrico com recurso a impressão 3D reduz o desperdício de materiais, bem como o tempo de processamento e o equipamento necessário. Posto isto, existem alguns fatores que poderão não ser adequados para determinadas empresas, como imprecisões no design, questões relacionadas com direitos de autor e reduções de postos de trabalho no setor de fabrico, o que implica um menor toque humano nestes processos.

A robótica e a automação também apresentam vantagens e desvantagens semelhantes; podem significar eficiência, fiabilidade e consistência em termos de produção e custos de produção inferiores; no entanto, exigem investimentos avultados e implicam incertezas junto dos trabalhadores quanto aos seus postos de trabalho.

Desafios na preparação de máquinas para o futuro

Para assegurarem a sua própria proteção contra interrupções globais catastróficas, os fabricantes têm que tomar medidas para garantir a flexibilidade e a resiliência das suas operações de fabrico. No que se refere à cadeia de produção, isto significa mudar de uma abordagem globalizada para uma mais localizada.

Um investimento avultado também constitui um desafio importante para os fabricantes em termos de atualização para a próxima era digital. É crucial garantir que os dados e as tecnologias usados assentam numa plataforma que tenha capacidade para acomodar as tecnologias mais recentes.

No entanto, investir em novas tecnologias é o caminho certo em direção ao futuro. Tudo o que se aplica aos benefícios da automação inteligente e flexível em circunstâncias normais é duplamente aplicável atualmente: garante maior eficiência, reduz custos, aumenta a produção e a qualidade e — o mais importante — reduz dependência no trabalho manual.

Os componentes normalizados mecânicos não exigem abundância de conhecimentos especializados desde o início — podem ser operados facilmente com conhecimentos básicos, o que pode ser útil para as empresas que pretendem preparar os seus processos para o futuro.

As aplicações e vantagens dos componentes normalizados na engenharia e na construção de máquinas

Um relatório publicado pela McKinsey sobre a preparação das operações para o futuro indica que “novas dinâmicas de mercado e novas tendências em termos de tecnologias estão a emergir a um ritmo crescente. Estes rápidos desenvolvimentos estão a impulsionar a importância e a urgência de dominar questões relacionadas com a complexidade dos produtos, a flutuação da procura e a utilização de ativos”.

Embora um funcionamento eficiente seja vital para as empresas, também é crucial que as máquinas e linhas de produção sejam fiáveis e não apresentem problemas nem atrasos. A utilização de componentes normalizados, seja em máquinas antigas ou novas, pode significar reduções nos tempos de renovação de ferramentas, de trocas de ferramentas ou até nos tempos de trocas de peças de trabalho para usinagem ou produção.

Por sua vez, isto aumenta a produtividade, prolonga a vida útil das máquinas e reduz os períodos de inatividade. A utilização de componentes normalizados significa a preparação das suas operações e máquinas para o futuro.

foto

As ferramentas, os conhecimentos e os ativos de que os engenheiros precisam para preparar máquinas para o futuro

O défice de competências no seio do setor de fabrico não é uma questão recente, especialmente nos últimos anos. É um desafio para qualquer engenheiro trabalhar em novas áreas em que é necessário adquirir novos conhecimentos. Devido à atual escassez de trabalhadores qualificados, de forma a obterem novas competências para novas tecnologias, as empresas têm que formar internamente os seus funcionários.

O futuro das empresas reflete-se sempre no poder de inovação dos seus produtos. As empresas apenas conseguem crescer e sobreviver no mercado através da aceitação de novas tendências e da sua colocação em prática.

Haverá sempre mercado para componentes normalizados e, ao aprenderem a usá-los de forma eficiente, os engenheiros podem melhorar as suas competências e selecionar os componentes adequados em função da aplicação. Os engenheiros podem até recorrer a estes conhecimentos e competências para construir máquinas ou linhas de produção totalmente automatizadas e eventualmente dar início ao empreendimento de preparar o processo de fabrico para o futuro.

Embora as máquinas sejam cada vez mais inteligentes e estejam cada vez mais interligadas em rede de modo a transmitirem informações para criar fluxos de trabalho otimizados, é importante dispor de componentes normalizados de forma a progredir para uma nova fase tecnológica com segurança e tranquilidade.

Conclusão

Não há dúvidas de que as empresas do setor de fabrico estão atualmente a começar a avançar na direção de uma forma mais digital de trabalhar. Com várias opções disponíveis para preparar as operações e máquinas para o futuro, é importante garantir o investimento em produtos e sistemas fiáveis.

Componentes normalizados que podem ser configurados ou personalizados em função da aplicação são um método rentável de preparação para o futuro. Os componentes normalizados são extremamente flexíveis e podem satisfazer um vasto leque de requisitos, reduzindo simultaneamente a complexidade da construção e da manutenção das máquinas. A norelem considera-se um fornecedor de sistemas e gamas completas com o objetivo de garantir aos designers todos os produtos de que necessitam. O foco não está nos componentes individuais, mas em pacotes completos, para que os designers obtenham tudo num único lugar.

A norelem ACADEMY oferece formação eficaz e individual numa plataforma própria e foi criada para apoiar aprendizes, estudantes e especialistas com palestras especializadas gratuitas sobre todos os aspetos da engenharia mecânica.

A norelem ACADEMY ajuda os engenheiros a compreender mais rapidamente as inovações de produtos através de exemplos de aplicação para que disponham de conhecimentos aprofundados sobre os produtos. Através de microunidades de aprendizagem, os utilizadores conseguem visualizar rapidamente todas as informações e exemplos de como os produtos são usados na prática.

No que diz respeito a produtos que exigem mais explicação, a norelem ACADEMY oferece formação sobre peças normalizadas e produtos específicos. A integração das peças normalizadas na construção é essencial para um produto a competitivo.

Para saber mais sobre a gama de componentes normalizados da norelem, visite: www.norelem.pt.

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial