Informação profissional do setor das instalações em Portugal
A geração e gestão dos dados do disjuntor ajudará a prever o comportamento energético

O disjuntor inteligente é fulcral para a eficiência energética dos edifícios

01/06/2022
Os novos hábitos de consumo, no que diz respeito à industrialização e à urbanização a nível mundial, implicam previsões de aumento de consumo elétrico de até 50% para o ano 2050. Assim, importa destacar que a energia utilizada pelos edifícios representa 42% da energia total e, desta percentagem, mais de 30% é desperdiçada devido à má gestão.

É nesta situação que entram em cena o disjuntor inteligente, com o objetivo de inverter estes números de desperdício energético, já que este modelo automático são cada vez mais inteligentes e têm uma melhor ligação. Optar por uma boa manutenção preventiva, ao invés de uma manutenção reativa, pode representar uma poupança de até 18% das despesas operacionais de um edifício.

O crescimento da digitalização significa que o disjuntor também tem de ser inteligente

O disjuntor inteligente transformar-se-á num elemento que contribuirá para o aumento da eficiência energética dos edifícios, bem como para manter a continuidade operacional do serviço. Os modelos automáticos colaborarão para uma melhor eficácia, de várias formas:

  • Numa época de conetividade máxima, os interruptores automáticos disponibilizarão todas as suas informações através de uma aplicação no nosso telemóvel, facultarão dados ao técnico para que possa identificar rapidamente o problema. O que conseguimos com isto? Acelerar o processo de restauração do serviço elétrico.
  • Os interruptores automáticos enviarão lembretes programados sobre a manutenção para um smartphone. Ao mesmo tempo, proporcionarão a possibilidade de partilhar esses dados com o resto da equipa de manutenção.
  • Acesso remoto. O interruptor automático inteligente enviará alertas para os smartphones do pessoal. Assim, a equipa técnica poderá diagnosticar um problema e resolvê-lo através do acesso remoto aos ajustes e dados.
  • Um software analítico permitirá programar uma manutenção preventiva dos interruptores automáticos. Graças a um diagnóstico do interruptor e outras medições do contexto, será possível conhecer o envelhecimento sofrido pela peça. Deste modo, será possível prever as necessidades em termos de manutenção e antecipar-se aos riscos para a fiabilidade. Simultaneamente, tudo isto contribui para a frequência das inspeções e, portanto, reduzem-se os custos a nível de tempo e dinheiro.
foto
A nova gama de disjuntores Masterpact MTZ da Schneider Electric diagnosticam rapidamente as falhas.

Um disjuntor automático tem de ser capaz de detetar a ineficiência energética

Cada vez existem mais normas para regulamentar a eficiência energética, como a ISO 50001, que exigem mais do que uma atualização dos equipamentos. Requerem o cumprimento do acompanhamento e da análise do consumo de um edifício. Um disjuntor de baixa tensão tem de cumprir os seguintes requisitos:

  • Acesso rentável aos dados energéticos. Isto traduz-se no facto de a medição da energia de classe 1 integrada nos interruptores automáticos, colocados na entrada de serviço e nos alimentadores principais, fazer com que não seja necessário instalar medidores de energia adicionais.
  • É vital recolher dados e analisá-los corretamente, mas também que se proceda a uma rápida transferência dos mesmos. Os interruptores automáticos inteligentes são ligados diretamente a redes Ethernet para enviar todas as informações que recolhem. Disponibilizam dados como: o estado da energia, bem como o equipamento e a energia disponível.
  • Partilhar dados para uma melhor análise. Os interruptores automáticos inteligentes têm de ser capazes de partilhar dados com outras aplicações analíticas para, deste modo, poder prestar informações a todo o pessoal implicado na manutenção da instalação elétrica. Com a informação partilhada, será possível analisar o desempenho energético nas instalações, comparar o comportamento energético de diferentes edifícios, ver eventuais erros, analisar a poupança de energia…

Os interruptores automáticos da gama Masterpact MTZ da Schneider estão preparados para serem utilizados nos contextos mais difíceis, já que proporcionam uma maior resistência a impactos e vibrações. Esta gama de interruptores automáticos coloca à disposição do utilizador notificações de condições de alarme e a sua ligação com a aplicação móvel permite recuperar dados, se for necessário, mesmo embora a alimentação esteja desligada. Importa adicionar a tudo isto que tem a capacidade de auxiliar os técnicos no diagnóstico de falhas e na restauração do serviço para agilizar o processo.

Empresas ou entidades relacionadas

Schneider Electric España, S.A.U.

oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial