Atlas Copco: vapor - caldeiras de vapor de 1,3 a 16 toneladas/hora
Informação profissional do setor das instalações em Portugal
Agricultura e renováveis são algumas das áreas contempladas

Universidade de Évora com financiamento de 2 milhões de euros para investigação

20/07/2020

A Universidade de Évora (UÉ) viu reforçada a sua posição na investigação com a aprovação de nove projetos de investigação no domínio da Competitividade e Internacionalização das suas Unidades e Cátedras de Investigação, num montante global a rondar os dois milhões e cem mil euros, em áreas que vão da agricultura, energia solar e armazenamento de energia, sustentabilidade do turismo, melhoramento da produção equina, entre outras.

foto

Gestão de olivais, sobreiros e bioproteção do tomate 

Na área da agricultura foram aprovados seis projetos: o projeto GESCERTOLIVE que visa apoiar a gestão de olivais e a certificação de material vegetativo de variedades de oliveira nacionais; o projeto Regacork TraDE, para a transferência e divulgação dos estudos técnico-científicos da rega de sobreiros; o projeto EQUI MAIS, que pretende melhorar a produção equinae o projeto BIOPROTOMATE, assente no estudo da bioproteção de tomateiro contra a Fusariose, e no impacto das práticas agronómicas.

Foram ainda financiados os projetos QualFastNut, para a utilização da espectroscopia NIR para a análise rápida da qualidade em frutos secos e o projeto CynaraTeC, para a transferência de Tecnologia para Valorização do Cardo.

Renováveis

Na área de energias renováveis, foi aprovado o projeto SOLAR TECH para a transferência de tecnologia e conhecimento em Energia Solar e Armazenamento de Energia; o projeto ANTECIPA, que pretende conceber modelos de previsibilidade de Rochas Ornamentais em obra e em exploração e por último, na área das ciências sociais, o projeto PISTA, um projeto que se propõe desenvolver a partilha de informação sobre Sustentabilidade do Turismo no Alentejo.

O financiamento de mais de dois milhões de euros para projeto de investigação no âmbito do Concurso Sistemas do Conhecimento Científico e Tecnológico, no domínio da Competitividade e Internacionalização insere-se ao abrigo do Programa Alentejo 2020.
“Estamos a consolidar a excelência da investigação da Universidade de Évora a nível nacional e internacional, este é apenas um exemplo a juntar a muitos outros que nos permite ser cada vez mais uma instituição de grande dimensão e de referência também na área da investigação” assume António Candeias, Vice-Reitor para a Investigação e Desenvolvimento da UÉ, instituição que surge com entidade líder em oito dos nove projetos aprovados. Sendo uma vertente fundamental da missão universitária, a investigação e produção de conhecimento desenvolve-se nas unidades de investigação da Universidade de Évora.

MED

O MED - Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento surge como a unidade de investigação da UÉ que maior número de projetos vê aprovados, 6 no total, na área da agricultura, ambiente e desenvolvimento.

Coordenado por Augusto Peixe, o projeto GESCERTOLIVE, prende apoiar a gestão de olivais e a certificação de material vegetativo de variedades de oliveira nacionais, enquanto Nuno Ribeiro, coordena o projeto Regacork TraDE, para a transferência e divulgação dos estudos técnico-científicos da rega de Sobreiros.

No mesmo instituto de investigação da UÉ, o projeto EQUI MAIS, coordenado por Elisa Bettencourt, pretende melhorar a produção equina, já Isabel Brito surge à frente da equipa de investigadores do projeto BIOPROTOMATE, assente no estudo da bioprotecção de tomateiro contra a Fusariose, e no impacto das práticas agronómicas. Financiados foram ainda os projetos QualFastNut, para a utilização da espectroscopia NIR para a análise rápida da qualidade em frutos secos coordenado por Ana Elisa Rato, e o projeto CynaraTeC, para a transferência de Tecnologia para Valorização do Cardo coordenado na UÉ pela investigadora Cristina Pinheiro e liderado pelo Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL).

Na Cátedra de Energias Renováveis, Pedro Horta é o coordenador do projeto SOLAR TECH para a transferência de tecnologia e conhecimento em Energia Solar e Armazenamento de Energia. Por outro lado, José Mirão, investigador do laboratório HERCULES coordena o projeto ANTECIPA, que pretende conceber modelos de previsibilidade de Rochas Ornamentais em obra e em exploração. Por último, na área das ciências sociais, Jaime Serra, investigador CIDHEUS, coordenará o PISTA, um projeto que se propõe desenvolver a partilha de informação sobre Sustentabilidade do Turismo no Alentejo.

Nova gama de Ar CondicionadoJaba: tradução 4.0Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar CondicionadoHisense: serie HI - AquaSmart menos emisiones de CO2Portugal Smart Cities Summit 16 - 18  de nov. 2021 FIL - Parque das NaçõesBombas de calor Spirit inverterAPREN - Associação Portuguesa de Energias RenováveisDecorHotel: Fil - Lisboa 21 a 23 Out 2021Adene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Fujitsu ar condiionado mámixo siléncio mínimo consumo

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial