Grupo Midea SGT: XTREME SAVE ultra popança de energia
Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Artigo Denios

Transporte seguro de substâncias perigosas durante as tarefas de produção

Denios22/11/2021
O transporte interno de mercadorias perigosas implica um alto risco potencial.
foto

Não só existem riscos para a saúde devidos ao levantamento manual de cargas pesadas ou acidentes típicos como escorregamentos e quedas, mas também um risco significativo de danos às mercadorias transportadas.

Em caso de acidente, as substâncias perigosas podem derramar-se sem controlo e terem efeitos devastadores.
Neste artigo, fique a par do tema sobre o transporte interno de substâncias perigosas. Além disso, a lista de verificação da Denios proporciona informação importante para o transporte seguro de substâncias perigosas na sua empresa e informa sobre os equipamentos apropriadas para fazê-lo.

Quais são os riscos específicos associados ao transporte interno de substâncias perigosas?

Se um recipiente se transporta de forma incorreta ou se danifica durante o transporte, pode produzir-se rapidamente uma fuga incontrolada de substâncias perigosas.

Dependendo da substância envolvida, os riscos são diferentes. Por exemplo, se a substância é classificada como perigosa para o meio ambiente, a penetração no solo, esgotos ou águas próximas pode causar danos ambientais consideráveis. Muitas substâncias podem ser tóxicas ou nocivas para a saúde por contacto com a pele, inalação ou ingestão. As substâncias inflamáveis, por sua vez, podem formar com o ar uma atmosfera explosiva, ATEX, perigosa.

Os gases sob pressão também são classificados como substâncias perigosas. O risco de danificar uma garrafa de gás aumenta consideravelmente durante o transporte. No caso de uma queda, por exemplo, a válvula, o ponto mais débil na garrafa de gás, pode romper-se e causar uma fuga repentina do conteúdo sob pressão. As garrafas de gás podem transformar-se em projéteis que são inclusive capazes de atravessar paredes de betão. As fugas de gás não detetadas também constituem um risco de asfixia.

Pode encontrar os perigos associados às substâncias utilizadas na sua empresa nas correspondentes Fichas de Dados de Segurança (FDS).

O empresário também deve assegurar-se que as substâncias perigosas estejam etiquetadas com os pictogramas adequados (regulamentos GHS / CLP) para que os trabalhadores as possam identificar claramente antes do transporte.

Aqui mostramos alguns exemplos:

foto
Tal como com as atividades de transporte habituais, a questão da ergonomia também deve ser considerada: se as substâncias perigosas encontram-se em grandes recipientes pesados como bidões, o transporte manual implica um alto nível de stress físico e um maior risco de lesões dos trabalhadores.

Qual é a diferença entre substâncias e mercadorias perigosas e quando se aplica um ou outro regulamento?

Inclusive se os dois termos às vezes se usam incorretamente como sinónimos, nem todas as substâncias perigosas são mercadorias perigosas! Os termos provêm de diferentes conjuntos de regulamentações e definem-se de maneira diferente, em alguns casos.

O termo “substância perigosa“está descrito pela regulação europeia CLP (Regulamento (CE) n.º 1272/2008 sobre classificação, rotulagem e embalagem de substâncias e misturas). Nele declaram-se como substâncias perigosas as que apresentam certas propriedades perigosas e o mesmo regulamento desenvolve para estas especificações para a sua etiquetagem e embalagem, bem como certas regras para o seu armazenamento e manipulação seguros.

Isto é particularmente importante para o transporte interno de substâncias perigosas, já que se deve entender como uma”atividade que envolve substâncias perigosas” e, portanto, está sujeito a regulação.

foto

Por outro lado, qualquer pessoa que deseje transportar substâncias perigosas em locais públicos deve examinar cuidadosamente as disposições sobre mercadorias perigosas. As “mercadorias perigosas” são substâncias perigosas classificadas pelos seus números ONU e, também, definidas para o transporte por estrada, no ADR (acordo europeu relativo ao transporte internacional de mercadorias perigosas por estrada).

Contrariamente ao Regilamento CLP, o ADR tem em conta explicitamente a natureza perigosa das substâncias quando se transportam em locais públicos. Em consequência, é possível que uma substância se considere uma substância perigosa nos termos do Regulamento CLP, mas não como uma mercadoria perigosa nos termos do ADR se não é transportada fora da empresa.

O regulamento de mercadorias perigosas implica disposições diferentes como requisitos de etiquetagem específicos, uso de embalagens e contentores com aprovação especial para o transporte.

Deve o empresário proporcionar ajuda para o transporte de substâncias perigosas dentro da empresa?

Sim.

O Regulamento Geral de Segurança e Higiene do Trabalho nos Estabelecimentos Indistriais (Portaria n.º 53/71, de 3 de fevereiro; Portaria n.º 702/80, de 22 de setembro) obriga o empresário a realizar a avaliação dos riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores.

O transporte interno de substâncias perigosas deve considerar-se como um processo de trabalho incluído na avaliação de riscos e isso implica a implementação de medidas de proteção apropriadas como, por exemplo, ajudas técnicas como dispositivos de manipulação de bidões ou equipamentos de transporte para garrafas de gás.

As diretivas europeias sobre saúde e segurança no trabalho estipulam explicitamente que estas medidas técnicas devem classificar-se por cima das medidas de proteção organizacional e pessoal (princípio STOP). No entanto, o uso preventivo de equipamentos de proteção individual (EPI) é claramente recomendado como medida de segurança adicional ao transportar substâncias perigosas.

Os requisitos legais também devem ser considerados no que diz respeito ao transporte de grandes cargas. Por exemplo, o regulamento requer medidas apropriadas para minimizar os riscos físicos para os trabalhadores.

É bom sabê-lo: o transporte seguro e ergonómico de produtos perigosos não só permite cumprir os requisitos legais, mas também ajuda a reduzir as ausências laborais relacionadas com a saúde e, portanto, melhora a produtividade e o rendimento. As medidas apropriadas também ajudam a garantir que mais trabalhadores possam assumir as tarefas de transporte. Além dos aspetos sanitários, ter os meios adequados para o transporte de substâncias perigosas também tem enormes vantagens económicas.

Todos os colaboradores podem transportar e manipular materiais perigosos?

Não.

Segundo o Regulamento Geral de Segurança e Higiene do Trabalho, o empresário deve definir as medidas de proteção necessárias após ter realizado a avaliação de riscos mencionada anteriormente. Entre outros, os trabalhadores devem estar informados e capacitados sobre as propriedades das substâncias perigosas, os possíveis perigos e as medidas de proteção que se devem tomar, designadamente no que concerne o transporte de substâncias perigosas.

Se é necessário, as pessoas também podem ser eximidas da tarefa de transportar substâncias perigosas, por exemplo, se há proibições específicas como no caso de mulheres grávidas.

A situação é diferente para o transporte de substâncias perigosas fosse da empresa. Neste caso, o condutor deve ter uma carta de condução especial para mercadorias perigosas (certificado de capacitação ADR) para estar autorizado a transportar mercadorias perigosas nas vias públicas.

Que equipamentos devo usar para o transporte de substâncias perigosas?

Ao transportar bidões

  • Manobradores de bidões
  • Carrinhos para bidões
  • Elevadores de bidões
  • Pinças e ferramentas para elevação de bidões
  • Acessórios para o transporte de bidões com carrinhos
  • Transporte de bidões em zonas ATEX

Ao transportar embalagens mais pequenas

  • Bacias de retenção com rodas
  • Carrinhos de manipulação e trasfega
  • Carrinhos de transporte de plástico

Ao transportar garrafas de gás

  • Carrinhos para garrafas de gás
  • Suportes e paletes para o transporte de garrafas de gás

Armazenamento seguro de substâncias

  • Recipientes de segurança FALCON
  • Recipientes para líquidos e sólidos

Os produtos de segurança da Denios reduzem ao máximo os riscos durante o transporte e garantem um transporte seguro e eficiente dos seus materiais perigosos. A seguir encontrará uma descrição geral da nossa gama de produtos para uma maior segurança no trabalho ao transportar materiais perigosos na empresa.

Segurança e ergonomia na manipulação de bidões

Em muitas empresas, as substâncias perigosas armazenam-se em bidões e, com frequência, a necessidade de transporte seguro e ergonómico dos mesmos subestima-se. A manipulação inadequada pode causar sérios riscos ambientais e para a saúde:

- Virar ou deixar cair um bidão rapidamente provoca danos ou fugas incontroladas de substâncias perigosas. Além disso, os trabalhadores estão expostos a um stress físico significativo devido ao transporte manual, levantamento ou manipulação dos mesmos.

A Denios oferece-lhe uma vasta gama de equipamentos de trabalho adequados para minimizar os riscos relacionados com o transporte de substâncias perigosas em bidões dentro da empresa.

foto

Informação completa sobre o tema, aqui.

Deseja mais informações?

Ligue gratuitamente para o número 800 11 31 46 para falar com um dos especialistas Denios. 

Adene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Apemeta XI encontro nacional de gestaão de residuos: uma nova era? 16 de dezembro 2021 auditorio do alto dos monhosCaio CavalcantiBosch: a mais recente mudança já lhe é familiar.Jaba: tradução 4.0Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar Condicionado

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial