Disterm: ar condicionado, bombas de calor, ventiloconvetores
Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Transição digital nos Materiais de Construção vai ter grande impacto na fileira

Redação Induglobal07/12/2021
Para que a digitalização dos Materiais de Construção aconteça basta que os fabricantes tomem a iniciativa de preencher um ficheiro Excel e que façam o upload do mesmo e das sucessivas atualizações na plataforma APCMC Datacheck, autorizando os distribuidores seus clientes a aceder à mesma.
foto

Para qualquer empresa, estar presente na internet é, hoje em dia, indispensável. Mesmo que não use diretamente este canal para realizar vendas, a verdade é que se não tiver um site é como se não existisse e, por isso, não será procurada nem encontrada por potenciais clientes ou por fornecedores. Não estar na internet é perder visibilidade e oportunidades.

“Se este é o lado mais evidente da digitalização, ele será, todavia, o de menor impacto e exigência, quer ao nível dos processos internos das empresas, quer nas relações a montante e a jusante, com fornecedores, transportadores, construtores, projetistas e clientes finais”, começa por dizer José de Matos, secretário geral da APCMC – Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção.

O responsável acrescenta que “se, por um lado, nos deparamos hoje com uma necessidade crescente de informação sobre os produtos, seja por força dos regulamentos e obrigações administrativas, seja pela própria complexidade dos processos ou pelas solicitações dos clientes e prescritores. Por outro lado, a concorrência impõe sucessivas melhorias na eficiência com que realizamos as operações que permitem construir uma proposta de valor reconhecida pelo mercado”.
Só é possível acompanhar esta crescente complexidade através dos meios informáticos e, para os alimentar, é necessário que o enorme volume de informação esteja disponível em formato digital, com a profundidade e a qualidade adequadas.
Ora, esta informação sobre os produtos vai muito para além das referências, das designações, dos códigos de barras e dos preços. Ela inclui dados técnicos, ambientais, fotografias, normas de utilização, ficheiros de desenho, objetos BIM (Building Information Model ou Modelo da Informação da Construção), etc. Não é possível que cada empresa crie a sua própria informação, não só pela dimensão e custo da tarefa, mas também porque, se cada produto tiver associada uma informação diferente consoante aquele que a introduziu, a comparabilidade seria impossível e o mercado não poderia funcionar eficazmente.

O papel do fabricante

À partida, a solução parece simples, já que existe uma entidade que possui toda a informação sobre os seus produtos, o fabricante. Se houver um acordo no mercado sobre as informações que são necessárias para cada tipo de produto e a forma como essa informação é preenchida e transmitida dentro da fileira, o problema básico e mais importante para que a digitalização se traduza em melhorias significativas de eficiência em todos os agentes da fileira está resolvido.

“Esse acordo ou norma também já existe! É o APCMC Datacheck!”, alerta José de Matos, lembrando que, “para funcionar, basta que os fabricantes tomem a iniciativa de preencher um ficheiro Excel e que façam o upload do mesmo e das sucessivas atualizações na plataforma APCMC Datacheck, autorizando os distribuidores seus clientes a aceder à mesma. Tudo no mesmo formato, para todos os fabricantes e para todos os clientes, para todos os tipos de produtos, de forma automática, sem custos, sem erros e quase imediata”.

“É assim que se faz a transição digital no nosso setor. Só não se faz se os fabricantes não quiserem… ou não estiverem na verdade preocupados em apoiar os seus clientes”, conclui o responsável.

Contributos sobre plataforma APCMC Datacheck

Johan Stevens, diretor geral Sanitop

“Atualmente, é indispensável comercializar produtos de elevada qualidade, adaptados às exigências crescentes do mercado. Mas, para além do produto físico, também temos de disponibilizar aos nossos clientes o acesso a informação técnica e comercial, de forma clara e rigorosa, através de canais digitais rápidos e eficazes. Com a implementação do DataCheck pela APCMC, toda esta informação estará disponível ao alcance de um clique com grande fiabilidade dos dados disponibilizados”.

Ávila e Sousa, Diretor Técnico e Marketing/CMO - Grupo Preceram

“A iniciativa da APCMC surge na altura certa e vem impulsionar uma verdadeira transição digital do setor. Sendo certo que parte do caminho já estava a ser percorrido pelos diversos atores (fabricantes, distribuidores, prescritores, …) é fundamental que estes se cruzem e interliguem no futuro. A ferramenta desenvolvida, APCMC Datacheck, permite uma comunicação simplificada, mas eficiente entre todos”.

Pedro Mêda, investigador do Instituto da Construção e Coordenador Técnico do projeto GrowingCircle - Construção eficiente e sustentável através da integração da informação:

Que benefícios trouxe para a nossa vida plataformas como o Booking, o Trivago ou o TripAdvisor, entre outras? Algum relevante?

De facto, as plataformas que referi resultam da digitalização de informação relevante sobre hotéis e restaurantes. Informações simples como a localização, o custo, o nível de serviço, as comodidades, todas elas com capacidade de serem amplamente ilustradas com recurso a imagens.

São estas interfaces que funcionam como elementos de apoio à nossa decisão, em função de um conjunto de circunstâncias como a nossa disposição, o local onde estamos, situação em que nos encontramos (trabalho, lazer).

Por trás destas aplicações está uma lógica de normalização da informação que permite a realização de comparações e que pretende promover a melhoria do negócio a todos os intervenientes.

Esta filosofia está já a acontecer no setor da construção. Os projetistas e empresas de construção têm necessidades crescentes relativamente aos dados dos produtos e estes dados têm de ser apresentados de uma forma que permita a sua comparação e utilização direta nos processos de construção. Do ponto de vista da relação entre fabricantes e comerciantes de produtos de construção a situação é idêntica.

Os desafios são grandes e as estratégias têm de ser as mais acertadas. Neste contexto, os projetos de digitalização dos produtos da construção como o APCMC Datacheck ou o projeto GrowingCircle são essenciais para quem queira, de forma consistente, abraçar todo o potencial que a digitalização aporta ao setor da construção. Para além destas mais-valias, este processo tem impactos positivos diversos em toda a cadeia de valor da construção e ciclo de vida das construções.

Deste modo, os processos de seleção e de negócio dos produtos de construção serão muito mais ágeis e eficientes, tal como hoje acontece com os processos de escolha de um hotel ou restaurante.

Ferramenta APCMC Datacheck

O APCMC Datacheck é uma ferramenta criada no âmbito de desenvolvimento do projeto Speed Up-Materiais de Construção 4.0, que se destina a acelerar a transição dos materiais de construção para uma nova realidade de adoção tecnológica e digital nos processos de negócio das PME, condições essenciais ao desenvolvimento de uma abordagem integral e integrada na fileira da construção nacional.

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas, envolvendo um investimento elegível de 571 mil euros o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 485 mil euros.

Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar CondicionadoSmart Home show de 25 a 27 2022Adene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Fujitsu ar condiionado mámixo siléncio mínimo consumoEsdec: o fornecedor de estruturas de fixação para fotovoltaicoJaba: tradução 4.0

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial