Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Os novos comutadores de média tensão da Schneider foram adaptados às exigências do sistema de tensão.

Um design perfeito da aparelhagem elétrica de média tensão garante um serviço fiável e seguro

Schneider Electric20/01/2022
As novas necessidades associadas ao design de sistemas de proteção de sobrecorrentes foram fulcrais no desenvolvimento da aparelhagem elétrica de média tensão. Este é o conjunto de aparelhos necessários para uma correta conexão, assim como os suportes e invólucros que contribuem, em grande medida, na produção, transporte, distribuição e transformação da energia elétrica, tanto em interiores como em exteriores.

A aparelhagem elétrica de média tensão deve garantir a segurança das pessoas durante a sua manipulação e utilização, assim como a proteção dos próprios equipamentos e limitar os erros de conexão. E para uma perfeita instalação ao utilizar os diferentes dispositivos, como por exemplo os transformadores de MT (de 1 a 52 kV), os geradores ou o sistema de cablagem, é crucial dispor do equipamento adequado e, acima de tudo, que este se encontre coordenado para um perfeito funcionamento, incluindo nas situações mais complexas.

Estas instalações podem encontrar-se limitadas pelas tensões fornecidas pela companhia elétrica fornecedora. Para analisar a situação, deve-se determinar a aparelhagem elétrica de média tensão mais adequada em cada aplicação, tendo como princípio a fiabilidade do serviço e determinando os aparelhos necessários em cada situação. Entretanto, para além da tensão necessária em cada situação, deve-se ter atenção também às limitações e/ou parâmetros de regulação do próprio dispositivo; para além das próprias normas de utilização que são obrigatórias a nível internacional.

foto
Os comutadores de média voltagem da Schneider podem ser adaptados de acordo com vários factores

Dispositivos essenciais para uma aparelhagem elétrica de média tensão

Este é o caso dos protetores de transformadores ou os sistemas de proteção contra sobrecargas que devem dar resposta à seguintes necessidades:

  • Capacidade de suportar a carga necessária.
  • Responder a uma sobrecarga temporária.
  • Realizar o dimensionamento para o sistema de distribuição elétrica.
  • Correta seleção para a aplicação de transformadores com dielétricos líquidos ou secos.

Mas o designer deve também escolher fusíveis ou interruptores automáticos de proteção do próprio transformador. A norma geral é que os transformadores de até 1000 KVA são considerados uma unidade independente e devem estar protegidos por fusíveis. Para tamanhos superiores, utilizam-se proteções de interruptores automáticos de MT que contam com dispositivos independentes como transformadores de intensidade (TI), um transformador de tensão (TT) e relés de proteção contra sobrecorrentes que são do tipo multifunções, baseados nas normas IEEE.

No entanto, nos sistemas de média tensão, os transformadores de intensidade (TI) conectam dispositivos de proteção ou de medição, já que, devido ao facto dos níveis de tensão e intensidade do sistema serem perigosamente altos e não ser possível os conectar diretamente a um relé ou a um medidor, estes TI proporcionam um excelente isolamento aos níveis de alta tensão e de corrente do cabo.

É certo que estes dispositivos devem ser combinados para criar uma unidade, para fornecer altas prestações, tendo em conta as necessidades próprias da instalação elétrica. A Schneider Electric contempla todos os fatores (tanto internos como externos) para desenvolver e adaptar dispositivos de última geração, que se integram perfeitamente com a aparelhagem elétrica de média tensão, oferecendo como vantagens:

  • Uma conexão da rede elétrica contínua.
  • Uma redução dos tempos de inatividade e dos custos de manutenção.
  • Menor risco para o pessoal durante o seu funcionamento, devido à sua elevada segurança e proteção.
foto
O novo comutador de média tensão da Schneider para eliminar o gás SF6 até 2025.

O futuro da aparelhagem elétrica de média tensão passa pela sustentabilidade

Atualmente existem novos desafios para a aparelhagem elétrica de média tensão e tal como em qualquer outra parte de qualquer organização, deve ser modernizada e criar alterações em busca da sustentabilidade. Simplesmente realizando uma atualização da aparelhagem, uma empresa pode obter uma poupança de recursos de até 30%.

A aparelhagem elétrica de média tensão engloba produtos como as celas de média tensão que incorporavam o gás SF6. Um gás que, ainda que não seja prejudicial para o ser humano e totalmente seguro, caso não seja reciclado corretamente poderá provocar alguns gases de efeito de estufa 23 500 vezes superiores ao CO2. No ano de 2015 a Schneider Electric comprometeu-se em eliminar o gás SF6 das suas celas de média tensão até 2025.

Para tal inovou o seu produto e introduziu uma novidade, as celas de média tensão que incorporam uma nova tecnologia em que se aumentam as suas prestações utilizando ar puro em lugar do gás SF6. Assim, consegue eliminar a emissão de gases de efeito de estufa, obter maior sustentabilidade, alargamento do tempo de vida útil do produto e uma poupança nos custos de reciclagem. Não necessita de se preocupar com o funcionamento das máquinas já que, ao comutar as cargas de potência, obtém-se níveis de rendimento, fiabilidade e segurança superiores aos fornecidos pelas celas com gás SF6. Para além disso, agora os utilizadores, com a tecnologia software oferecida pelo produto, podem estar atualizados a qualquer momento e gerir dados importantes de sustentabilidade.

Prémio para a aparelhagem elétrica de média tensão ecológica da Schneider Electric

A Schneider Electric é uma empresa em constante desenvolvimento de sistemas mais eficientes para a gestão da energia e da automatização. E o esforço teve a sua recompensa na Industrial Energy Efficiency Award (IEEA), na categoria ‘Energy Economy’, com a sua nova tecnologia de aparelhagem de média tensão ecológica e digital SM AirSeT. Uma solução inovadora que está disponível desde o início de 2021, que nos liberta da dependência dos gases de efeito de estufa hexafluoreto de enxofre (SF6), habitualmente utilizados nos equipamentos elétricos das instalações elétricas de redes e industriais, substituindo-o por ar puro.

A maior aposta pelas renováveis e a consciência social sobre a sustentabilidade, foram decisivas para que a empresa adotasse um foco sustentável, sem renunciar as vantagens próprias dos equipamentos tradicionais, com a máxima rentabilidade e fiabilidade. Este é um dos compromissos das Schneider Electric com o planeta.

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

Responsable: Interempresas Media, S.L.U. Finalidades: Assinatura da(s) nossa(s) newsletter(s). Gerenciamento de contas de usuários. Envio de e-mails relacionados a ele ou relacionados a interesses semelhantes ou associados.Conservação: durante o relacionamento com você, ou enquanto for necessário para realizar os propósitos especificados. Atribuição: Os dados podem ser transferidos para outras empresas do grupo por motivos de gestão interna. Derechos: Acceso, rectificación, oposición, supresión, portabilidad, limitación del tratatamiento y decisiones automatizadas: entre em contato com nosso DPO. Si considera que el tratamiento no se ajusta a la normativa vigente, puede presentar reclamación ante la AEPD. Mais informação: Política de Proteção de Dados

oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial